Tabela Contribuição Sindical 2018
Veja a Pesquisa Sindarma sobre os principais temas do transporte hidroviário no AM
Seja bem-vindo ao portal do Sindarma
Conheça a história do sindicato marcada por conquistas

Noticias

Contrato de dragagem do Rio Madeira é assinado em Porto Velho

O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), assinou o contrato de dragagem do Rio Madeira, nesta quinta-feira (3/11), em Porto Velho (RO). O contrato prevê que os serviços de dragagem sejam realizados durante cinco anos a partir de 2017. 


A assinatura do contrato ocorreu durante entrega do Viaduto do Trevo do Roque. O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, participou da solenidade. 


O contrato no valor de R$ 80 milhões assegurará que durante os próximos cinco anos seja feita a desobstrução do leito do rio, o balizamento e sinalização, entre outros serviços que possibilitarão melhores condições de navegabilidade na região também nos períodos de estiagem. O serviço que estava previsto para este ano só deve começar em 2017. 


A dragagem é o procedimento para remoção dos sedimentos que se encontram no fundo do rio para permitir a passagem das embarcações em áreas mais assoreadas. No caso do Rio Madeira, o DNIT anunciou que um trecho 1.086 km de extensão, que vai da capital de Rondônia até o município de Itacoatiara (AM) receberá dragagem. O trecho é considerado crítico pelo próprio DNIT. Há dois anos o serviço não era realizado e a dragagem é uma das principais reivindicações das empresas de transporte aquaviário do Amazonas e de Rondônia. De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial no Estado do Amazonas (Sindarma), Galdino Alencar Júnior, o serviço de dragagem é essencial para segurança da navegação no Rio Madeira. A medida atenderá antigo pleito dos transportadores fluviais de cargas e de pessoas que navegam pelo corredor logístico.


"Pelo Rio Madeira a maior parte das cargas é escoada na nossa região. A hidrovia é um dos principais corredores logísticos do país por fazer parte do Arco Norte. O Rio Madeira precisa desse serviço, que não tem sido feito nos últimos anos, principalmente para evitar acidentes com embarcações no período da seca, quando o calado da embarcação no rio é reduzido", destacou o presidente do Sindarma.


Foto: Edsom Leite/MT





Retornar Subir